4 meses de Timor

Depois de escutar Amado Bastista tocando na rádio dentro do taxi, percebi o quanto de novidades eu havia acumulado para contar.

4 meses de timor. 4 meses sem cinema, livrarias, comida da mamãe. 4 meses sem sexo, sem beijar na boca, sem aquelas discussões sadias que a gente sempre tem
com o irmão caçula.

4 meses longe da minha noiva, dos amigos, da família.

Em compensação, 4 meses de pura novidade. Novos amigos, nova realidade, nova cultura. O timor é um contraste a todo instante. Onde um aluguel pode custar
500 dólares (para “malai”) se isso é mais que o dobro da média de salário nacional?

Nesse meio-tempo, muita coisa aconteceu. A maioria merece um post à parte, como a viagem pelo sudeste asiático, o dia em que estive com um milhão no bolso,
ou mesmo o “morango do nordeste” tocando na balada.

É muito louco ir em uma reunião e de repente perceber que no grupinho conversando tem mais de 5 nacionalidades. E a cena se repetir no supermercado, no restaurante,
no seu dia-a-dia.

É complicado viver em um pais que não tem telefonia fixa (3G, o que é isso???), não tem um sistema de transporte público, e onde a partir das 7 da noite não tem mais taxi.

É maravilhoso viver perto de praias tão lindas, poder caminhar com o laptop sem ter medo de ser assaltado.

Vou tentar escrever com mais frequencia. No país dos contrates, assunto não faltará.

5 Responses to “4 meses de Timor”

  1. é Frolic…vc realmente não fez mais updates dessa aventura.
    Estamos esperando novidades…
    Grande abraço, e bons mergulhos(!!)

  2. Putz, brow, depois de ler esse depoimento deprimente e deprimido, estou me perguntando: já não está na hora de vc ter um Sr. Wilson???
    Hehehe…

  3. 4 meses de timor. 4 meses sem cinema, livrarias, comida da mamãe. 4 meses sem sexo, sem beijar na boca, sem aquelas discussões sadias que a gente sempre tem
    com o irmão caçula.

    hahahaha.

    abraço

  4. Qdo vc volta, amigo?? Boa sorte aí no Leste!!

  5. Macho, coloca mais posts !!!

Leave a Reply