Primeras impressões do Timor

Dia 18 completei duas semanas no Timor. Neste post vou tentar resumir as impressões que tive até agora.

Ao contrário do que pensei, quase ninguém fala português. E o Tetun, idioma local, não é tão parecido com o português, apesar de ter várias palavras de origem portuguesa (assim como inglesa e indonésia).

Ao descer do avião, achei que estava em um filme de ação, desembarcando em uma pista clandestina de tráfico de drogas, pois o aeroporto é todo rodeado por bananeiras.


Caminhamos para o único terminal. Havia uma fila apenas para o staff da UN, e me encaminhei para lá. Depois descobri o porque da fila especial: existem mais de mil internacionais trabalhando aqui.

Havia uma pessoa me esperando no aeroporto, que me levou para o HQ da UN. Passei quase uma semana em meio a briefings, papeladas e vacinas.

Apesar de vir do Nordeste do Brasil, achei o Timor bem mais quente que Fortaleza. Na verdade, o mar não tem ondas, parece mais um grande açude, e devido a umidade, a sensação térmica é bem elevada.

Nas andanças pela cidade, vejo que ainda tem muita coisa queimada e por reconstruir. Afinal, um país que foi queimado duas vezes não se restaura do dia para a noite. Mesmo assim, a impressão que tive foi bem melhor do que imaginava.

Existem restaurantes de todos os tipos, e já provei comida indonésia, tailandesa, portuguesa e inclusive
brasileira. :)

Aproveitei tambem, é claro, para degustar as cervejas locais, e aprendi minha primeira frase em tétun:
mana, bitang ida tan maliri, per favore (Amiga, por favor, mais uma bitang, gelada!). Essencial!

Aqui tem semáforo, mas não tem flanelinha! E você estaciona na rua e não tem ninguém te pedindo pra “guardar o carro”!

Fim de semana é dia de praia. Temos duas muito boas em Dili. No cristo rei, é possível caminhar uns 50m da praia e fazer snorkel em suas águas cristalinas. Belíssimo. Consegui ver, entre outras coisas, um peixe-palhaço! Esse mês ainda irei me matricular na escola de mergulho, e então me aventurar de verdade.

Peixe-palhaco; Foto: Brian Francisco - http://uwet.blogspot.com/

Por enquanto, vou compensando a saudade das pessoas que ficaram no Brasil com a mudança da correria
de Fortaleza pela vida mais tranquila no Timor.

4 Responses to “Primeras impressões do Timor”

  1. Ja que vc esta disposto a fazer um curso de mergulho, e esta por estas bandas…Se tiver oportunidade não deixe de ir a North Sulawesi e Flores. Excelentes spots de mergulho.
    E quanto ao curso(OWD) se vc ainda não tem informação nenhuma, procure por certificadoras PADI, que são as que mais certificam no mundo.
    Boa sorte, e bons mergulhos!

  2. Opa!

    Obrigado pelas dicas. Já ouvi falar por alto nesses spots. Conversei com o pessoal que mergulha por aqui e me indicaram uma que certifica PADI sim. Quando terminar o curso e comprovar que a escola é boa, posto aqui. :)

  3. Nossa, que aventura! De fato, deve ser marcante na vida de qualquer pessoa, conhecer novas culturas e levar a bandeira do cultura livre também. Por favor, não nos deixe sem noticias… Seus fas cearenses agradecem

  4. Saudades!!! Adoro ficar sabendo novas notícias suas e relendo as que já passaram… B;*s e aproveite cada minuto desta nova experiência. Amo-te!!!

Leave a Reply