Permissão para dirigir

Após uma reprovação no exame psicotécnico (já me disseram que tenho problemas, mas nesse nível é sacanagem!),. uma no exame de rua (com direito a uma batidinha de leve), consegui a almejada PPD – Permissão Para Dirigir.

Isto no mesmo dia em que teria uma prova final na faculdade à noite (ledo engano pensar que conseguiria sair cedo do exame para estudar para a prova), e nas vésperas da viagem para o II EPSL, em Natal. Se eu não fosse aprovado, seriam 4 dias de enchemento de saco e zoação. Minha dignidade estava em jogo.

A batalha final começou tensa. Por sorte (poderia ter sido igualmente por azar) fui o último a fazer o exame na última quarta. O último mesmo, até esquecido fui. O 1o avaliador teve que sair correndo pra pedir que o pessoal da baliza voltasse, já que passava das 16 e o pessoal já tinha começado a ensacá-las.

O drama começa com a seguinte pergunta do fiscal “Em quem você votou na última eleição???”
E agora, será que sou de esquerda fervoroso, ou extrema direita com o Alquimim? Ainda bem que não pensei nisso antes, senão a agunia teria sido grande!

Nestas condições, já estava com medo de ser eliminado logo no primeiro exercício, para que o pessoal pudesse ir pra casa. Comecei os testes e fui com a maior calma do mundo, pra não dar nenhum mínimo motivo de reprovação. A coisa estava tão assim pro meu lado que até o semáforo estava desligado.

No final das contas, todos tiveram paciência, e eis que saio com a minha resalva em mãos! :)

Agora é aguardar o papai noel ou o coelhinho da páscoa me dar um carro, ou eu conseguir juntar do troco que ganho guardando carros e fazendo malabarismos nos semáforos o montante para comprar o possante.

Enquanto isso, o jeito é encher o saco dos parentes pedindo o carro emprestado, e rezar para não ser multado, senão a peleja começa toda de novo…

Leave a Reply